“Now You See Us”: Tate Britain Celebra a Trajetória das Mulheres Artistas com Exposição

Lisbeth Thalberg Lisbeth Thalberg
Maria Cosway, Georgiana as Cynthia from Spenser's 'Faerie Queene', 1781-82. Reproduced by permission of Chatsworth Settlement Trustees / Bridgeman Images

Londres, Reino Unido – A Tate Britain orgulha-se de apresentar a exposição “Now You See Us: Women Artists in Britain 1520-1920”, um marco na celebração das contribuições femininas para a arte britânica. Esta exposição ambiciosa traça o percurso das mulheres no mundo da arte ao longo de quatro séculos, destacando as barreiras superadas e o estabelecimento de um espaço profissional feminino na arte britânica.

Abrangendo um período de 400 anos, a mostra reúne mais de 200 obras de mais de 100 artistas femininas, desde nomes reconhecidos como Artemisia Gentileschi, Angelica Kauffman, Julia Margaret Cameron e Gwen John, até talentos recentemente redescobertos. Este vasto leque de obras inclui pintura a óleo, aquarela, pastel, escultura, fotografia e ‘needlepainting’, proporcionando uma visão abrangente da contribuição feminina nas artes visuais britânicas.

A exposição inicia-se na corte Tudor com Levina Teerlinc e Esther Inglis, introduzindo obras inéditas nos últimos quarenta anos e autoretratos pioneiros. O foco se expande para o século XVII com Artemisia Gentileschi, que criou obras significativas em Londres na corte de Carlos I, incluindo “Susanna and the Elders” 1638-40, exposta pela primeira vez graças ao empréstimo da Royal Collection.

Avançando para o século XVIII, a exposição destaca a participação feminina nas primeiras exposições de arte públicas da Grã-Bretanha, desafiando as noções preconcebidas sobre o papel das mulheres artistas, muitas das quais foram profissionalmente desacreditadas ou reduzido a ocupações ‘femininas’. Destacam-se figuras como Katherine Read, Mary Black, Anne Seymour Damer e Margaret Sarah Carpenter, além de Angelica Kauffman e Mary Moser, únicas mulheres fundadoras da Royal Academy of Arts.

No período Vitoriano, a expansão dos locais de exposição pública ofereceu novas plataformas para as artistas femininas. Elizabeth Butler, Henrietta Rae e Annie Swynnerton são apenas alguns dos nomes que contribuíram para o debate e reconhecimento da arte feminina, incluindo o envolvimento com o ativismo e campanhas por igualdade de acesso à educação artística.

Concluindo no início do século XX, a exposição homenageia mulheres artistas como Gwen John, Vanessa Bell e Helen Saunders, que desempenharam papéis fundamentais na evolução do modernismo, abstracionismo e vorticismo. Destacam-se também Laura Knight e Ethel Walker, cujas obras representam o ápice da aceitação e sucesso profissional feminino na arte britânica, culminando na admissão na Royal Academy.

“Now You See Us: Women Artists in Britain 1520-1920” fica em cartaz na Tate Britain, oferecendo aos visitantes uma oportunidade única de explorar a riqueza e diversidade da contribuição feminina para a arte britânica através dos séculos.

Partilhar este artigo
Seguir:
Jornalista e artista (fotógrafo). Editor da secção de arte da MCM.
Deixar um comentário