A história do Raëlismo: Um percurso de crenças e de defesa

O Raëlismo é um movimento religioso que ganhou atenção pelas suas crenças únicas e pela sua defesa em várias áreas, incluindo o feminismo sexo-positivo, a modificação genética e a clonagem humana. A história do Raëlismo remonta às origens do seu fundador, Claude Vorilhon, que mais tarde ficou conhecido como Raël.

Primeiros anos

Os primeiros anos do Raëlismo giram em torno da vida de Claude Vorilhon e dos encontros que levaram à formação do movimento. De acordo com as Mensagens Raëlianas, Vorilhon teve o seu primeiro encontro com um extraterrestre Eloha a 13 de dezembro de 1973. Este encontro teve lugar perto de um vulcão inativo chamado Puy de Lassolas em França. Dois dias depois, Vorilhon teve outro encontro com os Eloha, que revelaram insígnias gravadas na sua nave e no seu fato espacial.

Estes encontros formaram a base das crenças e ensinamentos de Raël. Os Eloha explicaram que os triângulos entrelaçados nas insígnias simbolizam “como em cima, assim em baixo”, encapsulando a ideia da escolha da humanidade entre o paraíso e o regresso a um estado primitivo. Foi dado a Vorilhon o nome do movimento religioso que viria a fundar, conhecido como MADECH (mouvement pour l’accueil des Elohim créateurs de l’humanité).

Fundação do Raëlismo

A 19 de setembro de 1974, Claude Vorilhon realizou a sua primeira conferência pública em Paris, França, atraindo mais de 2000 pessoas. Este evento marcou a fundação oficial da MADECH e o início da missão de Raël de difundir as mensagens raëlianas. Raël e os seus seguidores tinham como objetivo informar o público sobre as suas crenças, incluindo o estabelecimento da geniocracia, do humanitarismo e do governo mundial.

Para apoiar a difusão da sua mensagem, foram publicados e distribuídos livros Raëlianos em todo o mundo em várias línguas. A fonte primária da história e dos ensinamentos de Raël encontra-se nestes livros, que estão disponíveis gratuitamente na Internet. Para além disso, a socióloga canadiana Susan J. Palmer escreveu extensivamente sobre a luta de Raël para organizar o jovem movimento Raëliano, fornecendo informações valiosas sobre os seus primeiros anos.

Anos intermédios

Durante os anos intermédios do Raëlismo, a influência de Raël expandiu-se globalmente e o movimento ganhou força em diferentes partes do mundo. Raël viajou muito, divulgando a sua mensagem e atraindo seguidores. Em 1980, o livro de Raël “Meditação Sensual” foi publicado, marcando a publicação formal das Mensagens Raëlianas em língua japonesa e o início da missão do movimento no Japão.

A África também se tornou um foco importante para o Movimento Raëliano durante este período. Raël e os seus seguidores sublinharam a necessidade de uma descolonização mais honesta e completa de África, defendendo a criação dos “Estados Unidos de África”, que ligaria novamente os africanos às suas raízes religiosas e territoriais pré-coloniais. O movimento também iniciou o projeto Clitoraid, com o objetivo de proporcionar cirurgias de reparação do clitóris a mulheres que tinham sido submetidas a mutilação genital.

Advocacia e controvérsia

Ao longo da sua história, o Raëlismo tem estado associado a várias acções controversas e a esforços de defesa. Em 1992, os Raëlians lançaram a Operação Preservativo, um projeto destinado a promover a utilização de preservativos e a defender a liberdade sexual entre os adolescentes. Também organizaram conferências e eventos para defender a masturbação e o amor-próprio, desafiando os tabus sociais em torno destes temas.

A defesa do movimento estendeu-se também a questões políticas e sociais. Em 1994, os Raëlianos implementaram a sua versão do batismo na Basílica de São Pedro, o que levou a confrontos com a Igreja Católica. O Raëlismo também ganhou atenção em 2002, quando Brigitte Boisselier, um bispo Raëliano e Diretor Executivo da Clonaid, anunciou o nascimento do primeiro clone humano, provocando debates éticos e controvérsia.

Anos recentes e deslocalização

Nos últimos anos, o Movimento Raëliano passou por mudanças e deslocalizações significativas. Em 2007, a sede norte-americana do movimento foi transferida do Quebeque para Las Vegas, Nevada. O movimento continua a promover a sua mensagem através de vários meios, incluindo a criação de museus e a participação em eventos e convenções.

Apesar das críticas e controvérsias, o Raëlismo continua a ser um movimento religioso único e distinto. A sua defesa da liberdade sexual, a modificação genética e a sua crença em Elohim extraterrestres distinguem-no das religiões tradicionais. O movimento continua a atrair seguidores e a suscitar interesse em todo o mundo.

A história do Raëlismo é uma viagem de crenças, de defesa e de controvérsia. Desde os seus primeiros anos, marcados por encontros com Elohim extraterrestres, até à sua fundação e expansão, o Raëlismo deixou uma marca indelével na paisagem religiosa. Embora o movimento tenha enfrentado críticas e controvérsias, continua a defender as suas crenças e princípios únicos. O Raëlismo continua a ser um movimento distinto e estimulante que desafia as normas sociais e promove uma visão de um futuro diferente.

Penelope H. Fritz
Penelope H. Fritz
Penelope H. Fritz é uma escritora altamente qualificada e profissional, com um talento inato para captar a essência dos indivíduos através dos seus perfis e biografias. As suas palavras são eloquentes e perspicazes, pintando uma imagem vívida dos seus temas e deixando os leitores encantados.
Artigos relacionados

Deixar uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos mais recentes