A história de Lindsay Lohan: Escândalos, reabilitação e redenção de uma antiga estrela infantil

Lindsay Lohan é uma atriz, cantora, compositora e empresária americana. Ganhou fama como atriz infantil no final da década de 1990 e início da década de 2000, protagonizando filmes populares como “The Parent Trap” e “Mean Girls”. No entanto, ela também enfrentou uma série de lutas pessoais e problemas legais ao longo de sua carreira. Apesar disso, ela continua a ser uma figura bem conhecida e influente na indústria do entretenimento.

Início da vida e carreira

Lindsay Lohan
Lindsay Lohan in Mean Girls (2004)

Lindsay Lohan nasceu na cidade de Nova Iorque em 1986. Ainda criança, começou a ser modelo e a aparecer em anúncios publicitários, antes de ter a sua grande oportunidade aos 11 anos, ao interpretar Hallie Parker e Annie James no remake de 1998 de The Parent Trap, contracenando com Dennis Quaid. O filme mostrou o talento e a versatilidade de Lohan como atriz desde tenra idade. Ela continuou a conseguir papéis, aparecendo em novelas como Another World e em filmes como Life-Size, estrelado por Tyra Banks.

Ascensão ao estrelato

Lindsay Lohan tornou-se um nome conhecido quando era adolescente no início dos anos 2000. O seu papel de destaque surgiu em 2003, quando interpretou Anna Coleman no remake de Freaky Friday, ao lado de Jamie Lee Curtis. O seu desempenho foi aclamado pela crítica e o filme foi um grande sucesso de bilheteira.

No ano seguinte, Lohan consolidou o seu estatuto de ídolo e estrela adolescente com o seu papel principal de Cady Heron na comédia de sucesso Mean Girls. O filme foi um sucesso de crítica e comercial, arrecadando mais de 120 milhões de dólares em todo o mundo. O desempenho encantador e cómico de Lohan granjeou-lhe muitos novos fãs.

Aproveitando a sua fama, Lohan também seguiu uma carreira musical durante a adolescência. Lançou dois álbuns pop – Speak, de 2004, e A Little More Personal (Raw), de 2005. Ambos os álbuns receberam certificado de platina e apresentaram singles de sucesso como “Rumors” e “Confessions of a Broken Heart (Daughter to Father)”. A sua carreira musical mostrou os talentos de Lohan para além da representação.

Em meados da década de 2000, Lindsay Lohan era uma das jovens estrelas mais famosas e bem sucedidas de Hollywood. Os seus filmes, a sua música e o seu estatuto de ídolo dos adolescentes fizeram dela uma verdadeira celebridade da lista A.

Lutas pessoais

A carreira e a vida pessoal de Lohan sofreram uma viragem tumultuosa em meados da década de 2000. Desenvolveu problemas com drogas, álcool e festas, o que a levou a várias passagens pela reabilitação.

Em 2007, Lohan internou-se pela primeira vez num centro de reabilitação. Nesse mesmo ano, foi detida por conduzir sob o efeito do álcool e por posse de cocaína. Este foi o início de vários anos de problemas legais para Lohan.

Nos anos seguintes, foi detida várias vezes por conduzir embriagada e por posse de droga. Em 2010, não passou num teste de drogas ordenado pelo tribunal e foi condenada a 90 dias de prisão seguidos de um programa de reabilitação de 90 dias em regime de internamento. No entanto, só cumpriu 14 dias devido à sobrelotação.

Até à data, Lohan já entrou e saiu da reabilitação seis vezes. Os seus problemas com o abuso de substâncias fizeram descarrilar a sua carreira durante vários anos. Durante este período turbulento, não conseguiu assegurar papéis devido ao facto de ser considerada “insegura” pelos estúdios de Hollywood. O seu comportamento imprudente e os seus problemas com a lei também prejudicaram a sua imagem pública.

Declínio de carreira

A carreira de Lohan piorou no final da década de 2000. O seu filme de 2006, Just My Luck, foi considerado uma desilusão de bilheteira, arrecadando apenas 38 milhões de dólares em todo o mundo contra um orçamento de 50 milhões de dólares. Seguiram-se-lhe fracassos como Georgia Rule, I Know Who Killed Me e Labor Pains, nenhum dos quais teve um bom desempenho nas bilheteiras ou junto da crítica.

Lohan desenvolveu uma reputação de ser difícil de trabalhar devido aos seus problemas pessoais e controvérsias públicas. Este facto fez com que os estúdios de cinema não a quisessem contratar para filmes de grande orçamento. Para tentar reconstruir a sua carreira, começou a trabalhar numa série de thrillers de baixo orçamento, como Machete e The Canyons. Mas estes filmes não lhe devolveram o sucesso de bilheteira.

Entre o declínio da sua fama, o sucesso de bilheteira e a reputação prejudicada, Lohan teve dificuldade em conseguir papéis significativos no cinema após o final da década de 2000. Para uma atriz que encontrou o estrelato cedo, a sua carreira entrou numa espiral que ela teve dificuldade em recuperar.

Tentativas de retorno

Depois de fazer uma pausa na carreira de atriz no início da década de 2010, Lindsay Lohan tentou recomeçar a sua carreira várias vezes com um sucesso misto. Ela tentou voltar à música, lançando alguns singles entre 2013 e 2015, mas eles não conseguiram ganhar muita tração comercial.

Em 2014, Lohan teve um reality show de curta duração chamado Lindsay na rede OWN de Oprah Winfrey. O programa acompanhou a vida pessoal e profissional de Lohan depois de sair da reabilitação, mas a baixa audiência levou ao seu cancelamento após uma temporada.

Lohan continuou a conseguir pequenos papéis em filmes e programas de televisão, aparecendo em filmes independentes como The Canyons e Inconceivable, além de participações em programas de TV como Anger Management, 2 Broke Girls e uma comédia britânica chamada Sick Note. No entanto, ela lutou para recuperar o mesmo nível de estrelato e sucesso do início de sua carreira.

Embora Lindsay Lohan tenha tentado regressar várias vezes na década de 2010, os seus projectos de representação e os seus lançamentos musicais tiveram uma receção comercial e críticas modestas. Não conseguiu recuperar totalmente a proeminência que alcançou quando era uma jovem estrela, apesar de continuar a atrair a atenção dos meios de comunicação social devido aos seus actuais problemas pessoais e legais.

Anos recentes

Nos últimos anos, Lindsay Lohan expandiu a sua carreira para além da representação e do canto. Abriu vários clubes de praia e resorts, incluindo um em Mykonos, na Grécia. Isto permitiu-lhe capitalizar a sua marca e popularidade como celebridade.

Lohan também começou a explorar oportunidades na televisão de realidade. Em 2019, ela foi jurada no The Masked Singer Australia, que foi uma nova direção para sua carreira. Ela trouxe sua personalidade espirituosa para o painel de jurados do programa de competição de canto de sucesso.

A sua vida pessoal também evoluiu, pois em 2021 Lohan ficou noiva de Bader Shammas, um financeiro sediado no Dubai. Depois de enfrentar muitos desafios em relações anteriores, este facto trouxe uma sensação de estabilidade à vida privada de Lohan. O seu noivado significou a sua transição para a idade adulta.

De um modo geral, embora Lohan se tenha afastado das luzes da ribalta de Hollywood nos últimos anos, tem trabalhado para se reinventar com novos empreendimentos e oportunidades de negócio. Parece estar num lugar mais saudável, tanto a nível pessoal como profissional.

Destaques da filmografia

Lindsay Lohan alcançou a fama como atriz infantil, ao participar no remake da Disney de The Parent Trap, em 1998, com apenas 11 anos de idade. Ela interpretou os papéis duplos das gémeas Hallie e Annie, mostrando o seu talento e charme e lançando-a no estrelato.

O seu grande êxito seguinte foi Freaky Friday, de 2003, uma comédia de troca de corpos em que Lohan interpretava uma adolescente que troca de corpo com a mãe. Mostrou a sua versatilidade como atriz neste papel cómico que a obrigava a encarnar tanto uma mãe madura como uma adolescente rebelde.

Em 2004, Lohan atingiu um novo patamar de fama com a sua icónica interpretação de Cady Heron no êxito Mean Girls, escrito por Tina Fey. O seu desempenho como uma adolescente educada em casa a navegar no campo minado social do liceu cimentou o seu estatuto de nome conhecido e de ídolo dos adolescentes.

No ano seguinte, Lohan protagonizou Herbie: Fully Loaded, no papel de uma jovem que faz corridas de carros. Ela foi a escolha perfeita para trazer o clássico franchise da Disney para uma nova era e apresentá-lo a uma nova geração de fãs. Embora não tão venerado como os seus filmes anteriores, Herbie ilustrou o alcance de Lohan ao assumir um papel de grande ação.

Carreira musical

Em 2004, no auge da sua carreira de atriz, Lindsay Lohan decidiu seguir também uma carreira musical. Assinou um contrato discográfico com a Casablanca Records e começou a trabalhar no seu álbum de estreia, Speak. O álbum foi lançado em dezembro de 2004 e apresentava canções pop-rock que tratavam da vida de Lohan na altura.

O single principal de Speak, “Rumors”, abordou a especulação dos media e os mexericos em torno da vida pessoal de Lohan. Tornou-se um hit top 20 em vários países, incluindo Austrália, Irlanda e Reino Unido. Outros singles incluem “Over” e “First”, que também alcançaram um sucesso moderado nas tabelas. Os críticos deram ao álbum críticas mistas, mas foi um sucesso comercial, sendo certificado como Platina nos Estados Unidos.

Lohan lançou seu segundo e último álbum de estúdio, A Little More Personal (Raw) em 2005. Como o título sugere, Lohan mergulhou mais fundo em suas experiências pessoais para as letras das músicas. O álbum abordou o abuso de substâncias, que Lohan estava supostamente lutando durante esse período. As críticas de A Little More Personal (Raw) foram geralmente mais favoráveis do que o esforço anterior de Lohan. A faixa-título e “Confessions of a Broken Heart (Daughter to Father)” foram lançadas como singles.

Apesar de não lançar um álbum desde 2005, Lohan tem ocasionalmente contribuído com canções para bandas sonoras de filmes. Ela continua a ser uma das poucas estrelas infantis a fazer uma transição bem sucedida para uma carreira musical durante o auge da fama.

Controvérsias

Lindsay Lohan tem estado envolvida em várias controvérsias e problemas legais ao longo da sua carreira. Tem-se debatido com problemas de abuso de substâncias e teve vários problemas com a lei.

Acidentes de viação e condução sob o efeito do álcool

Lohan foi detida por conduzir sob o efeito do álcool em várias ocasiões. Em 2007, foi detida duas vezes em menos de 3 meses por conduzir sob o efeito do álcool, tendo sido condenada a 1 dia de prisão e a serviço comunitário. Em julho de 2007, Lohan foi também detida por suspeita de conduzir embriagada após um incidente de perseguição em Santa Mónica.

Em 2012, Lohan esteve envolvida em vários acidentes de viação que a colocaram em apuros por ter mentido à polícia sobre estar ao volante. Em junho de 2012, bateu com um Porsche alugado contra um camião de 18 rodas e mentiu sobre o facto de ser a sua assistente a conduzir. Mais tarde, em novembro desse ano, Lohan foi presa depois de alegadamente ter atropelado um peão com o seu carro na cidade de Nova Iorque.

Violações de liberdade condicional

Devido aos seus problemas legais, Lohan foi condenada a liberdade condicional várias vezes ao longo da sua carreira. Falhou testes de drogas e faltou a audiências obrigatórias, o que levou a violações da liberdade condicional e a mais tempo de prisão.

Em 2010, Lohan falhou um teste de drogas ordenado pelo tribunal e foi condenada a 90 dias de prisão seguidos de um programa de reabilitação de 90 dias em regime de internamento. Em 2011, foi apanhada a roubar um colar e condenada a 120 dias de prisão por roubo e violação da liberdade condicional.

Festas e consumo de drogas

Lohan tem feito manchetes ao longo dos anos devido às suas festas nocturnas, ao consumo de drogas e às suas loucuras. Tem sido fotografada em discotecas a todas as horas da noite e tem falado abertamente sobre o seu vício em drogas e álcool. Lohan esteve várias vezes na reabilitação por problemas de abuso de substâncias em 2007, continuando a lutar contra a sobriedade ao longo dos anos. O seu estilo de vida festivo e as batalhas contra a dependência tiveram um impacto negativo na sua carreira e reputação.

Legado

Lindsay Lohan ganhou fama como uma talentosa atriz adolescente, protagonizando vários êxitos de bilheteira como Mean Girls, Herbie: Fully Loaded e Freaky Friday. No entanto, a sua promissora carreira foi prejudicada por problemas pessoais, abuso de drogas e álcool e desentendimentos com a lei.

Durante a década de 2000, Lohan foi um grande ícone da cultura pop, aparecendo constantemente nos noticiários de entretenimento e nas manchetes dos tablóides. Todos os seus movimentos eram seguidos por paparazzi, enquanto as suas festas imprudentes geravam um sem-fim de material para os sites de mexericos. Tornou-se mais conhecida pelas suas fotografias e idas a tribunal do que pelo seu trabalho como atriz.

A queda de Lohan serviu como um conto de advertência sobre as pressões do estrelato na infância. Apesar de ter demonstrado um potencial incrível desde o início, a combinação de fama, vícios, pais facilitadores e falta de limites levou-a por um caminho conturbado. Passou de uma das jovens estrelas mais cobiçadas a uma personagem de destaque que personifica o lado negro de Hollywood.

Mesmo com o declínio da sua carreira, Lohan continuou a ser uma fixação dos tablóides e paparazzi durante os anos 2000 e 2010. Mal conseguia sair de casa sem ser perseguida pelos fotógrafos. Embora o público tenha ficado encantado com os seus erros, acabou por se cansar de a ver repetir os mesmos ciclos sem conseguir organizar a sua vida. O seu talento promissor foi ofuscado pelo seu comportamento imprudente e incapacidade de ultrapassar a dependência e a instabilidade.

Image

Penelope H. Fritz
Penelope H. Fritz
Penelope H. Fritz é uma escritora altamente qualificada e profissional, com um talento inato para captar a essência dos indivíduos através dos seus perfis e biografias. As suas palavras são eloquentes e perspicazes, pintando uma imagem vívida dos seus temas e deixando os leitores encantados.
Artigos relacionados

Deixar uma resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos mais recentes