Crítica do filme “Challengers”: Um triângulo amoroso com muita energia (e ténis)

Challengers
Martin Cid Martin Cid

“Challengers” oferece um triângulo amoroso ao estilo Truffaut, mas distingue-se completamente em termos de estilo, narrativa e ritmo. Ainda assim, lembra-nos da famosa obra de 1953 pelo seu tema central. Desta vez, a rivalidade vai além do campo de ténis, com o desporto e a competição como pano de fundo.

Com uma abordagem refrescante, divertida, juvenil e arrojada, “Challengers” conta com três atores excepcionais que parecem ter nascido para os seus papéis: Mike Faist, Josh O’Connor e, claro, a estrela Zendaya, que continua a surpreender pela sua naturalidade e frescura em cada interpretação. Juntos, eles transformam este filme numa experiência irresistível para uma tarde de ténis e paixões juvenis.

Argumento

Art e Patrick são uma dupla de ténis que conhece Tashi, uma tenista que vem mudar tudo.

“Challengers”: nem uma comédia adolescente, nem um drama intimista

Challengers
Challengers

Este filme poderia ter sido apenas mais uma comédia adolescente banal ou um drama introspectivo entediante. No entanto, “Challengers” evita ambos os extremos, oferecendo o melhor de dois mundos: uma história juvenil que evolui de um triângulo amoroso para algo mais profundo, sem se tornar dramática demais. É uma obra dinâmica, fresca e envolvente.

Direção de Luca Guadagnino

Sob a direção de Luca Guadagnino, a narrativa é habilmente conduzida através de flashbacks que revelam uma história íntima de rivalidade, amor e maturidade. Guadagnino consegue equilibrar as idas e vindas da trama, mantendo o espectador sempre interessado.

Zendaya: A estrela

Embora ainda não tenha ganho um Oscar, Zendaya mostra-se cada vez mais merecedora dessa distinção. Desde o seu papel em “Euphoria” (2019), a atriz tem crescido constantemente, alternando entre cinema comercial e dramático. Em “Challengers”, Zendaya exibe versatilidade, sendo provocadora, madura, misteriosa, divertida ou dramática conforme a cena exige. Este é mais um trabalho que solidifica a sua posição como uma estrela de Hollywood.

O ténis como pano de fundo e protagonista

“Challengers” também é um filme de desporto, mas que transcende as fórmulas tradicionais do género. A narrativa não se limita a uma simples competição pelo amor de uma rapariga; apresenta variações de cenas e uma complexidade que a torna única e especial.

Nossa opinião

Apesar de não ser a obra-prima das vossas vidas, “Challengers” merece ser vista. Trata-se de um triângulo amoroso que consegue ser, simultaneamente, divertido, dramático e refrescante. Um filme que sabe não ser aborrecido, e isso é algo que devemos apreciar.

MARCADO:
Partilhar este artigo
Seguir:
Escritor, fumador de cachimbo e fundador da MCM
Deixar um comentário